Dos acordes de uma guitarra imaginária, os pensamentos de um guitarrista sem dedos para a tocar

quarta-feira

O que é diferente

Eu sou o mais próximo de um reaccionário musical que possa por aí existir. Gosto de lhe chamar "selectivo", mas é como não gostar de comer muita coisa variada, gosto só de alguns pratos. Ainda assim. Sou tipo para apreciar uma boa surpresa.

Os Portico Quartet mostraram-me pela primeira vez o instrumento que inicia a música aqui em baixo. Comprei todos os discos deles assim que os ouvi pela primeira vez, no início deste ano. Houve um problema com a encomenda, e tive de fazer queixa à Amazon, hoje chegou a primeira encomenda, passados largos meses, agora tenho todos os discos de Portico Quartet uma segunda vez. Gosto do som deles, das composições, das melodias e do estilo. Tudo basicamente.



Hoje ouvi pela primeira vez este instrumento sozinho. E ao contrário da primeira vez que o ouvi, que só me deu vontade de o ouvir, desta vez deu-me vontade de o tocar... A ver no que isto dá. Fica aqui também o Daniel Waples, que para lá de um músico bem porreiro é por natureza, um porreiro.


Sem comentários: