Dos acordes de uma guitarra imaginária, os pensamentos de um guitarrista sem dedos para a tocar

domingo

TU SABES CARALHO!

No outro dia recebi um telefonema de um tipo que muito alterado me insultou o tempo todo dos 5 minutos ao telefone. Ele dizia-me com todo o vigor que eu sabia muito bem o que eu tinha feito, e que tinha-me portado muito mal, com este vocabulário exactamente mas intercalado com palavrões e insultos, assim:

Seu filho da puta, sabes muito bem meu cabrão, meu caralho, a merda da porra que fizeste, meu grande conas, portaste-te muito mal meu grande boi!

Eu acho que a frase não foi assim literalmente, ele repetia muito caralho e merda, e filho da puta. E eu não conseguia parar de rir. Sempre que lhe dizia - Epá, estás a ligar para o número err... - era interrompido por mais insultos e pelo teatral - TU SABES! CARALHO! - e eu continuava a rir que nem um perdido.

Adoro telefonemas perdidos, dou sempre conversa, ou mensagens perdidas, que dou sempre conversa também. Acho piada ao caos, sempre achei o caos a forma de piada surrealista mais cómica de todas. Mesmo quando é agressiva assim. Tenho no meu telemóvel "Maluco Gajo Doido" e espero um dia poder ouvir a voz dele. De preferência que ele me telefone, mas eu sei que vai haver um dia em que vou ser eu a ligar-lhe. Provavelmente quando estiver a contar esta mesma história mas com os copos.

Belos cinco minutos de conversa. Quem no tempo todo, e foram mesmo cinco minutos, nunca entendi com quem ele estava a falar, porque é que ele estava a falar assim ou seja qual tinha sido a razão de tudo aquilo porque "TU SABES! CARALHO!" interpunha-se sempre entre a minha curiosidade e os meus ataques de riso.

Enviei-lhe uma mensagem a dizer-lhe que me tinha divertido muito, e que lhe agradecia aquele pequeno momento de alegria. Nunca me respondeu.

Bom. Isto tudo porque hoje me ri muito com isto hoje:


Sem comentários: