Dos acordes de uma guitarra imaginária, os pensamentos de um guitarrista sem dedos para a tocar

quarta-feira

Manel em Fotografia


Há muitas qualidades que um homem pode ter como pessoa, há menos qualidades que precisa de ter como homem dedicado às artes, na fotografia, a técnica, o espaço, a distância e a luz são certamente quatro aspectos a ter em conta. Todos eles trabalhados e trabalháveis. Há quem possa tirar o curso, ser acolhido pela asa de um mestre, ter um talento natural para ver imagens em quatro paredes, e pode ter-se gosto. O Manel tem gosto. Há uma coisa que eu tenha certeza neste meu mundo, é que se for para ter gosto em imagem, posso contar com ele para a ter. E o gosto, ao contrário do que possa parecer, é uma arte por si só, é conjugar harmonias, com momentos, e com todas as outras qualidades que um fotógrafo tem de ter que descrevi em cima. Conheço muito bom fotógrafo. Mas com mais gosto que ele, não conheço. Terão outras qualidades. A do Manel é mais difícil terem, pelo menos como ele. Há muito bom músico, mas gosto como o Esbjörn Svensson tinha, é difícil de ter. O Manel é o Svensson dos fotógrafos que eu conheço. Com muito orgulho anuncio aqui, que ele, meu amigo desde os três anos, sócio na nossa empresa, vai esta sexta-feira, inaugurar a sua primeira exposição, na Ericeira, Loja da Quiksilver. Isto não é um convite, apareça quem aparecer, venha quem vier, este é só o meu elogio.  

3 comentários:

Joana Sá Machado disse...

http://elafazcinemajoana.blogspot.pt/2013/06/eu-tenho-um-fraquinho-por-ti.html

Este texto seguiu primeiro para o escritor citado. Depois tornei-o público. Deixo-o aqui.

Este Emmet Ray II é maravilhoso.

Vou assinar assim: "uma tipa completamente desconhecida".

Deixo um abraço. Dizem que vale tanto como as palavras.

Miguel Bordalo disse...

Já estive no teu blogue. E já o vou acompanhar sempre. Beijo grande!

Joana Sá Machado disse...

Bem haja para as palavras e para o Google. beijo