Dos acordes de uma guitarra imaginária, os pensamentos de um guitarrista sem dedos para a tocar

domingo

Uma solidão



O mais estranho no Andrew Bird é que tem coisas que me atiram completamente para outra planície, como este tema aqui. E outras que me deixam até chateado. Não me atrevo a dizer que é mau. Nunca me atrevo a dizer que é mau, algo de alguém que faz  coisas como este "Lull", mas há coisas que simplesmente não consigo ouvir.

Então sou um ouvinte incompleto de Andrew Bird...

Esta música podia certamente fazer parte do filme "Life Aquatic With Steve Zizou", faz perfeitamente o ambiente. Seria talvez inapropriado devido à referência directa ao Cousteau. É uma música sobre a solidão e como a solidão por vezes tem uma vontade própria, mesmo quando é difícil de suportar. Tem algo de viciante, e auto-flagelante em simultâneo.

É verdade que eu procuro os meus momentos de solidão, mais do que devia. Isto apesar de achar que os tenho sempre em pouca quantidade. Ainda que longe como estou da mulher que eu amo. Torna-se mais fácil procurá-los.

Sem comentários: